Tudo sobre armas de pressão & fogo e as melhores técnicas de tiro para você!
             TIROCENTRAL
Conheça nosso livro com tudo que você sempre quis saber sobre armas de pressão & fogo e 
as melhores técnicas de tiro  CLICANDO AQUÍ
 
   Casa      MAIS MATÉRIAS SOBRE ARMAS DE PRESSÃO & FOGO
 
  
FOGO OU AR? QUE PAIXÃO CORRE NAS VEIAS DE UM ATIRADOR?



Amante do tiro, técnico, pesquisador e autor sobre armas e tiro, costumo dizer que respiro ar comprimido e o fogo corre nas minhas veias, dada a paixão que tenho tanto pelas armas de pressão quanto pelas armas de fogo. Isto é bem resolvido na minha cabeça, porém, recebo frequentemente mensagens de atiradores me perguntando o que vale mais a pena: Atirar com armas de pressão ou partir logo para armas de fogo?  
 

O autor durante um treinamento sniper, com rifle CZ de fogo
 

 Atirador Jesu. se preparando para disparar com a carabina de pressão CBC Nitro six
 
A minha resposta é clara e rápida: Se a sua paixão é o tiro, há espaço para estes dois tipos de armas, cada um na ocasião certa. Exemplo: Se você vai viajar com a família para passar o fim de semana no campo, sítio ou fazenda e não tem tempo para ir à polícia tirar uma guia de tráfego para conduzir um rifle .22 de fogo, o mais indicado é você levar mesmo sua carabina de pressão na bagagem, pois, além de não precisar de registro, armas de pressão podem transitar livremente em qualquer lugar, desde que devidamente acondicionada em caixa ou capa e acompanhada da nota fiscal. Garanto que o lazer será garantido. 
 

 Na parte de cima da imagem, o rifle .22 de fogo Itajubá e na parte de baixo, a carabina de pressão Hatsan 125, cal. 5,5mm: Duas armas que representam muito bem suas respectivas categorias.
 
Os maiores atiradores de todos os tempos, invariavelmente, iniciaram no tiro com ar comprimido. É isto mesmo: Ar comprimido! Ninguém chamava carabina de pressão não! Quem nunca dedicou intermináveis minutos à prática do tiro nas barraquinhas  dos parques de diversão, algumas com o sugestivo nome de “escola de tiro”? 

  Atirador Thiago, de apenas 11 anos, foi a sensação de um dos torneios de tiro com carabina de pressão da região norte, pois, além de talentoso, o moleque atirou com um dos braços quebrado.
 
 

O tempo passou. Os modelos, marcas e calibres de armas de pressão foram se multiplicando no mundo inteiro. Normalmente, todo atirador que se preze, mesmo depois de adquirir uma arma de fogo, jamais deixa de praticar o tiro com armas de ar comprimido. È obvio que, dependendo da finalidade, uma arma de fogo, jamais poderá ser substituída por uma arma de pressão. Principalmente se o assunto for defesa pessoal! Com relação à caça, dependendo da preza, o atirador poderá perfeitamente utilizar uma boa carabina de pressão, desde que, utilize a técnica e a munição corretas

 
 
 

 


   
Leia nosso livro e conheça tudo que você sempre quis saber sobre armas de pressão & fogo e as melhores técnicas de tiro esportivo e de defesa, além de poder fazer qualquer consulta sobre o mundo das armas diretamente com o autor, a hora que você quiser!
*****O autor é armeiro, campeão de tiro, pesquisador e autor do livro " O Fascinante mundo das Armas de Pressão & Fogo, História & Técnicas de tiro" que você pode ler CLICANDO AQUÍ
 
 
 
               SNIPER AMERICANO: A LENDA DO TIRO
                
Nesta matéria vamos falar de Chris Kyle que é considerado o atirador de elite mais letal da história militar americana.
Nasceu em 1974, no Texas, EUA e desde pequeno começou a mostrar sua paixão pelo tiro e pelas armas. Aos 8 anos de idade, durante suas caçadas com o pai e o irmão, impressionava a todos com a sua habilidade no gatilho. Depois de cada alvo abatido, seu pai costumava dizer "Você tem o dom de atirar!"

Desde criança, mostrava sua paixão pelas armas
             
    Chris (direita), com seu irmão menor, não se separava da sua carabina de pressão, uma de suas paixões.
 
Durante a juventude, dividia seu tempo entre os rodeios e o tiro. Sua técnica foi ficando cada vez mais apurada
    
  Supervisionado pelo pai Wayne Kyle, seu primeiro instrutor
 
 
Se alistou na Marinha e não deu outra: Durante exercício de tiro, foi logo  selecionado para o Grupo de atiradores de elite Navy SEAL, principal força de operações especiais da Marinha dos EUA. Nascia aí a lenda americana do tiro. 
Foi convocado para a guerra contra o terror, onde participou de quatro missões no Iraque, entre 1999 e 2009, e ganhou diversas medalhas por bravura em combate. Além de exímio atirador era estrategista.
           
 
Sua fama, porém, deslanchou durante um dos vários ataques americanos a Ramadi, onde os resistentes identificaram o sniper e o chamaram “O Demônio de Ramadi”. As forças de defesa de Iraque colocaram sua cabeça a prêmio (equivalente a 20.000 dólares), mas ninguém conseguiu chegar perto da lenda.
 
Kyle se descrevia como "o atirador de elite mais letal da história militar americana" no livro em que conta a própria história, American Sniper, lançado em 2012. Sem disfarçar o exacerbado nacionalismo, afirmava que gostaria de ter matado até mais. "Não pelo ato de matar", ressalvou, mas sim porque acreditava estar salvando vidas inocentes.
em fevereiro de 2012, Kyle disse ter matado 255 pessoas ao longo dos dez anos em que foi chefe do pelotão Charlie, terceiro grupo da força Seal. O Pentágono confirma oficialmente 150 delas. Ambos os números são recorde para um único oficial - até então, o número máximo de vítimas contabilizadas por um atirador de elite era 109, durante a Guerra do Vietnã.

            Recebendo uma de suas muitas condecorações
 
ele contou o que sentiu, por exemplo, quando se viu obrigado a matar uma mulher civil, que corria com um pacote nas mãos: "Tenho certa vergonha, mas não me arrependo", disse, com um forte sotaque texano dando o tom à fala sisuda de quem parece estar sempre pronto a bater continência. Ao mesmo tempo, definiu-se como uma pessoa amorosa e agradeceu à sua família pelo apoio. 
 
        

                   Uma rápida entrevista:
Há alguma morte da qual o senhor se orgulhe? O tiro de que tenho mais orgulho foi o que dei contra um homem que estava atrás de um dos nossos soldados, que não se deu conta da presença dele. No momento em que o matei senti que cumpria exatamente o meu dever: promover a segurança necessária aos americanos, para que pudessem voltar bem a suas casas.
 

Como é retornar depois de tanto tempo longe da família e dos amigos? Eu amo estar em casa hoje, com uma mulher maravilhosa e nossos dois filhos, de quem passei muito tempo distante. Agora posso me tornar o homem que eu deveria ter sido há anos. Cuidar da minha família é minha prioridade número um. Paralelamente, ajudo a formar futuros atiradores de elite. Ensino táticas para que estejam preparados para atuar tanto no dia-a-dia quanto em casos pontuais, como atos terroristas, em solo americano ou no exterior.


O senhor apoiaria seu filho se ele decidisse seguir seus passos? Ele é muito novo para entender o meu trabalho. Sabe que já fui um atirador e que tentava proteger os americanos dos homens maus, mas não conhece os detalhes. Prefiro que seja assim e que, por enquanto, ele viva sua própria vida. Não gostaria de influenciar meu filho quanto a essa decisão, mas se ele decidir seguir o mesmo caminho, vou apoiá-lo.

 


 

Chris Kyle, o maior Sniper americano da história, foi morto covardemente  em um campo de tiro no Texas, no dia 2 de fevereiro de 2013(sábado), ao lado de seu vizinho Chad Littlefield. O suspeito pelos assassinatos, identificado como Eddie Ray Routh, foi preso. Ele teria 25 anos e também seria um veterano da guerra no Iraque.

As mortes de Kyle e Littlefield foram anunciadas pela Fundação Fitco Cares, que ajuda ex-soldados que sofrem de estresse pós-traumático após o retorno de missões em campos de batalha. Kyle, que tinha 38 anos, contribuiu para a criação da fundação e teria morrido enquanto participava de uma atividade para ajudar Routh, que sofre do transtorno. Morreu o homem! A lenda fica!

 

FONTE:* American Sniper book e veja 

            * com textos deste  autor

   

 

*Wallace Wsniper, autor desta e de centenas de outras matérias sobre armas e tiro, é atirador, armeiro, pesquisador e autor do livro "O FASCINANTE MUNDO DAS ARMAS DE PRESSÃO & FOGO", um livro com mais de 300 páginas contendo tudo que você sempre quis saber sobre armas e as melhores técnicas de tiro esportivo e de defesa. Você vai se encantar! Leia este livro  



    AS VANTAGENS DA MOLA GÁS RAM NAS ARMAS DE PRESSÃO

É raro o dia em que não recebo mensagens com inúmeras dúvidas sobre as reais vantagens de se instalar um gás ram em uma carabina de pressão. Primeiro quero esclarecer que o gás ram também é uma mola, só que selada e com nitrogênio no seu interior. A potência desta mola é de acordo com a quantidade de Nitrogênio que ela contém em seu cilindro. 

 Normalmente, a mola gás ram tem as seguintes potências: 45, 50, 55, 60, 70, 75 e 80kg

O seu funcionamento é simples: Quando o atirador bascula o cano da arma, a haste de aço pressiona o gás nitrogênio que fica comprimido no interior do cilindro. Ao pressionar o gatilho, o nitrogênio é liberado e  impulsiona violentamente a haste de aço que, por sua vez, empurra o pistão no interior da câmara da arma, provocando o disparo. Como o cilindro da mola gás ram é vedado, o nitrogênio fica o tempo todo retido no seu interior, ou seja, você não precisa trocar ou repor o gás(exceto se a mola quebrar).
Embora a mola gás ram seja um produto relativamente novo no Brasil, já é utilizada nas armas de ar comprimido há décadas na Europa.

  Acima, na vista explodida de uma carabina americana Crosman, a mola gás ram vermelha

Como atirador, armeiro e pesquisador, já fiz os mais diferentes e extravagentes testes e avaliações com armas de pressão equipadas com gás ram que você possa imaginar. Isto sem falar de que já perdí a conta do número de molas gás ram de diversos tamanhos e potências que já instalei.
Sem sombras de dúvidas, o gás ram é o que há de melhor para você equipar sua carabina de pressão. As vantagens que destaco são:
         1-Diminui a vibração e o recuo da arma em aproximadamente 35%, o que evita a frequente desregulagem ou quebra da luneta, além do que a sua força é constante e isto significa mais precisão.
        
         2-Não precisa ser lubrificada, pois já vem com lubrificante no interior de seu cilindro.

         3-Dura em média 250 mil tiros, ou seja: 50 vezes mais que uma mola de aço convencional.


Na imagem, uma carabina Hatsan 125 calibre 5.5mm, com a mola gás ram instalada por este autor

Quando você for escolher a mola gás ram ideal para sua carabina saiba que nem sempre a mola mais potente é a que vai aumentar a velocidade da sua arma, pois para cada modelo de carabina há um gás ram ideal, de acordo com o tamanho da câmara da arma. Portanto, é importantíssimo você consultar um bom armeiro ou técnico, antes de adquirir o gás ram. Lendo nosso livro "O Fascinante Mundo das Armas de Pressão & Fogo" você pode nos fazer qualquer consulta sobre a melhor mola gás ram para sua arma ou sobre qualquer assunto relacionado às armas de pressão, de fogo e técnicas de tiro esportivo e de defesa!

*Wallace Wsniper, autor desta e de centenas de outras matérias sobre armas e tiro, é atirador, armeiro, pesquisador e autor do livro "O FASCINANTE MUNDO DAS ARMAS DE PRESSÃO & FOGO", um livro com mais de 300 páginas contendo tudo que você sempre quis saber sobre armas e as melhores técnicas de tiro esportivo e de defesa. Você vai se encantar! Leia nosso livro 
 

***************************************************


 

VASILY ZAITSEV, O SNIPER RUSSO QUE PAROU HITLER      

           

Em 1940, desenhava-se um triste retrato para a humanidade: Hitler queimava milhares de judeus nos campos de consentração alemães e iniciava seu plano de dominar o mundo. Enviou tropas muito bem treinadas para invadir e tomar a Russia. Os alemães, em maior número, tinham a vitória como certa. Só que havia um sniper russo no meio do caminho:Vasily Zaitsev, a "lebre", tornaria-se o flagelo dos nazistas na mítica cidade de Stalingrado e desempenharia este papel com maestria considerável, ganhando destaque em suas ações de campo. 
A ação dos atiradores de elite se mostraria fatal para as forças do Reich. Em cada casa, em cada prédio, em cada esquina, em cada torre, morava o perigo e a morte na mira dos rifles de precisão. Nascido em uma família pobre de camponeses, no pequeno e remoto vilarejo de Yelenovsk, na região de Chelyabinsk, nos Urais, Vasily aprendeu a atirar com seu avô, um exímio caçador, quando ainda tinha apenas 8 anos de idade. Com o avô e seu irmão mais novo, Vasily aprendeu a fazer armadilhas e atirar apenas uma vez para abater o alvo, observar o cenário e se camuflar.
 

       Cena do filme "Círculo de fogo", que retrata a vida do sniper russo
 
 
Aos 12 anos, Vasily abateu seu primeiro lobo, utilizando um rifle Berdan. Estas importantes lições, na fase inicial da sua vida, fizeram de Vasily um dos maiores atiradores de elite de toda a história, uma verdadeira lenda.
Vasily também desenvolveu a habilidade de não depender do auxílio de luneta para atirar, aprendendo, desde cedo, utilizar armas sem este acessório.

O rifle Berdan, calibre 7,62 x 54mmR, primeira arma de fogo usada por Vasily.
O pequeno caçador cresceu e, já no ano de 1937, foi recrutado para o Exército Vermelho, servindo em um grupamento da Marinha Soviética, no Pacífico, próximo a cidade de Vladivostok.
Quando os alemães invadiram a União Soviética, em junho de 1941, Vasily se apresentou com alguns camaradas para lutar na linha de frente. Logo alcançou o posto de sargento. No dia 22 de setembro de 1942, cruzou o rio Volga e se une ao 1047º Regimento de rifles da 284ª divisão do 62º Exército. Logo no início de combate, deixou claro a que vinha: Um oficial, desesperado com dezenas de parceiros mortos a sua volta, não sabia o que fazer com seu rifle, pois um oficial sniper alemão, posicionado a cerca de 800 metros, já havia abatido muitos russos. Era um tiro quase impossível, mas, Vasily, que a tudo assistia atentamente, aceitou o desafio: Apanhou o rifle e, com apenas um disparo, eliminou a ameaça. Em seguida, com mais dois tiros, eliminou outros quatro soldados alemães. Foi condecorado com uma medalha e ganhou um rifle novo em reconhecimento ao seu grande feito. Nascia aí a lenda!
Em apenas um mês de combate, Vasily já havia matado quase 300 soldados alemães, dentre eles, vários atiradores de elite inimigos.
 seu nome foi publicado nos jornais militares e ainda se tornou a grande sensação das primeiras páginas do jornal "Pravda", o qual era lido por milhões de pessoas na URSS, dando grandes esperanças ao povo soviético e aos soldados do Exército Vermelho. De fato as proezas de Zaitsev eram lendárias, por exemplo, no período de apenas 10 dias ele já havia eliminado cerca de 40 oficiais alemães de alta patente, corajosa atitude essa que fizera dele também o mais falado nas rádios soviéticas e o mais popular soldado da cidade e um dos mais da URSS.

Ele era capaz de se esconder nos mais impensáveis lugares: Enterrado na neve, dentro de tubos, em escombros ou no alto de prédios. Após eliminar o alvo, com apenas um tiro, trocava imediatamente de esconderijo, evitando assim que fosse localizado. Juntamente com seu parceiro Nikolay Kulikov, era capaz de cobrir grandes áreas e atingir alvos em posições muito distantes e de difícil visualização. Nikolay auxiliava Vasily identificando atiradores de elite inimigos e, assim, evitando que ele fosse abatido, agindo como uma espécie de anjo da guarda.
Um de seus duelos mais difíceis foi com o major alemão Heintz Thorvald, também conhecido como Major König. Esse rico caçador de veados da Bavária era professor da escola de atiradores de elite da Alemanha e foi enviado apenas com a missão de abater Vasha(como também era conhecido Vassily), fato que comprovava sua fama até mesmo entre os soldados alemães, o que fazia dele um arcanjo para os soviéticos e demônio para os alemães. O atirador alemão também era exímio atirador e, a medida que ia eliminando vários atiradores soviéticos, começou a provocar pânico entre a tropa russa, mas, depois de dura caçada entre os dois snipers, Vasily surpreendeu o atirador alemão e o matou com um único tiro, na cabeça.

 
A arma preferida de Vasily era o rifle Russo Mosin Nagant, calibre 7,62mm (foto abaixo)
 
 

 
Embora utilizasse luneta na maioria dos combates, preferia mesmo a mira aberta
 

  A visão que Vasily tinha através da sua luneta com retículo de três traços
 

Zaitsev, primeiro a esquerda, além de exímio atirador, treinava pessoalmente sua equipe de snipers, transferindo sua técnica apurada aos seus camaradas.
     
     
 
As baixas causadas por Vasily foram tão consideráveis que seus efeitos provocaram uma grande redução na moral das tropas alemãs estacionadas em Stalingrado. A situação se deteriorou a tal ponto que o Alto Comando alemão escalou aquele que provavelmente foi o melhor de seus atiradores com a missão de eliminar Zaitsev. Esse atirar atendia pelo nome de Heinz Thorvald, também conhecido pelo codinome de Erwin König, conhecido como o "super atirador". Heinz era altamente especializado e possuía uma habilidade considerável, sendo o mais proeminente atirador da Escola de tiro de Berlim. Heinz se dirige à Stalingrado, e então começa a "caçada ao caçador". Zaitsev relata, posteriormente, que Heinz era extremamente difícil de ser encontrado. Dois dos amigos de Zaitsev foram feridos por ele. Kulikov, em um ato estratégico, levantou um capacete com uma baioneta, na altura da janela do prédio no qual estavam, e um tiro acertou quase que instantaneamente o equipamento. Assim, Heinz fatalmente revelou sua posição e, ao cometer o erro de se expor na janela para verificar o alvo, Zaitsev conseguiu matá-lo com um disparo na cabeça.
 
Vasily treinava novos atiradores, enquanto servia em campo, até janeiro de 1943, quando, ferido por disparo de morteiro, ficou temporariamente cego. Levado a Moscou, foi operado pelo doutor Filatov, considerado o melhor oftalmologista russo da época. Enquanto ele se recuperava, seus discípulos, conhecidos como "Zaichata"continuavam executando o que aprenderam com o professor Vasily. Somente a estes seus alunos foram creditadas mais de 6000 baixas alemães, durante toda a segunda guerra. Isto equivaleria afirmar que, o grupamento de snipers russos, praticamente, venceu a guerra sozinho. 
Com a visão recuperada, Zaitsev retorna ao cenário da guerra e continua instruindo novos atiradores, passando a comandar uma equipe de morteiros. Lutou nas batalhas da Ucrânia, em Dnepr e Odessa, atuando principalmente na região do rio Dniestr.
Quando, finalmente, os soviéticos derrotaram os alemães, em 9 de maio de 1945, Zaitsev estava num leito de hospital, em virtude de um grave ferimento em combate. A esta autura, tinha sido promovido a Capitão.
 

Após a guerra, Zaitsev viveu em Kiev, na Ucrânia. Formou-se em engenharia e atuou na profissão, tornando-se diretor de uma indústria.Vasily morreu em 1991, e foi enterrado em Kiev, contrariando seu pedido de ser enterrado no lugar onde mais lutou: Stalingrado. Entretanto, no 63º Aniversário da Batalha de Stalingrado, seu desejo foi realizado, tendo seu corpo sido exumado e transportado para a cidade de Stalingrado, onde repousa atualmente. Enterrado com todas as honrarias apropriadas no monumento de Mamayev Kurgan, um símbolo em homenagem aos milhões de mortos na guerra.  Entre outras condecorações, ele recebeu a medalha de Herói da União Soviética, a medalha da Ordem de Lênin, duas medalhas da Ordem da Bandeira Vermelha, uma medalha de primeira classe da Ordem da Guerra Patriótica, uma da Defesa de Stalingrado e outra da Vitória Sobre a Alemanha.Vasily foi mais que um excelente atirador: foi o ícone patriótico e a inspiração para uma Rússia desmoralizada, trazendo vigor, moral e esperança para um exército que sofria constantemente com a derrota e a resignação. Ele é creditado por ter eliminado mais de 300 soldados


Seu rifle mosin nagant é até hoje exibido no Museu para a Defesa de Stalingrado (foto acima).
 
 
  Fonte: *
http://www.vor.ru/Russia/Stalingraders;
*Brasil.elpais;
                http://www.military-history.org/ *Com textos do autor
 
 
*Wallace Wsniper, autor de centenas de outras matérias sobre armas e tiro, é atirador, armeiro, pesquisador e autor do livro "O FASCINANTE MUNDO DAS ARMAS DE PRESSÃO & FOGO", um livro com mais de 300 páginas contendo tudo que você sempre quis saber sobre armas e as melhores técnicas de tiro esportivo e de defesa. Você vai se encantar! Leia nosso livro 
 
**************************************************
 
 
            
MANUTENÇÃO EM ARMAS DE PRESSÃO:
 REFORMA DE UMA CARABINA CBC EXPRESSO 345 JUNIOR
     

   A carabina de pressão CBC expresso 345 Comando Junior foi produzida pela brasileira CBC, na década de 80. É uma edição especial da carabina CBC Expresso, com bússola, porta-chumbinho, bandoleira e pintura camuflada. Embora muita gente desconheça, mas, o sinônimo desta arma poderia muito bem ser "precisão".
   Realmente, seu cano, caprichosamente dotado com 12 microraias à direita, confere ao chumbinho uma trajetória retilínea e constante. A velocidade gira em torno de 170 metros por segundo. è uma arma bem soft (baixa potência), mas, que propicia ao atirador doces e intermináveis sessões de tiro, pois, o prazer de atirar resulta da precisão da arma + a 
Pois, foi justamente um exemplar desta arma que recebí do agente policial Junior para que fizesse  esta raridade do mundo das armas de pressão ressurgir das cinzas.
 
      Vejam como recebí a arma:

           Totalmente tomada pela ferrugem 
 
  O oring de vedação do cano estava ressecado e foi substituido.
O detalhe é que, por se tratar de arma antiga, tive que adaptar a peça, para poder instala-la na expresso.


                Já com a nova peça que instalei.
 
   Após a remoção total da ferrugem, fiz a recuperação da oxidação do aço da arma e ela ficou assim:


 
 
   Agora, chegou a vez de cuidar do ítem principal de uma arma: A sua precisão. Como já citei no início da matéria, a carabina CBC Expresso é muito precisa, mas, é necessário manter o raiamento da arma sempre em ordem. No caso da arma que reformei, o cano estava bastante sujo e com sinais de leve chumbamento. Procedí a limpeza total do raiamento da arma e conseguí recuperar a sua precisão. O resultado vocês podem ver no vídeo, clicando no nosso 

   Medindo apenas 89 centímetros, esta pequena notável marca gerações de amantes de armas de pressão. Precisa e de fácil empunhadura, bota muitas armas importadas no bolso. Tanto que, vários torneios e campeonatos de tiro pelo Brasil afora, foram conquistados com ela. Como armeiro e atirador, não consigo compreender como, uma arma tão simples e ao mesmo tempo: Tão robusta e precisa, de repente, deixou de ser produzida. Com a palavra a CBC !
 
   
 
 
       Leia nosso livro e conheça tudo que você sempre quis saber sobre armas de pressão & fogo e as melhores técnicas de tiro esportivo e de defesa, além de poder fazer qualquer consulta sobre o mundo das armas diretamente com o autor, a hora que você quiser!
 *O autor é armeiro, campeão de tiro, pesquisador e autor do livro " O Fascinante mundo das Armas de Pressão & Fogo, História & Técnicas de tiro" que você pode ler 
 

  
 
 
 







 

 


 




 
 
 
 
 
RIFLE WINCHESTER MODEL 1873, UMA RARIDADE DO MUNDO DAS ARMAS DE FOGO


O Winchester 1873 era muito mais popular que os 66 por causa da estrutura de ferro (e mais tarde, aço) que permitia tornar a pontaria central mais potente com o recentemente projetado cartucho 0.44 WCF (Winchester Center Fire, também chamado .44-40). Os 1873 freqüentemente são chamados de A Arma Que Conquistou O Oeste. Em 1866 os únicos disponíveis eram os 0.44 Henry sem caçoleta. Em 1873 estavam disponíveis 0.44 WCF (.44-40), 0.38 WCF (.38-40), e 0.32 WCF (.32-20), a maioria do que era também disponível nos Potro, Remington, Smith & Wesson, Merwin & Hulbert, e outras armas. 
A paixão pelo tiro e pelo mundo das armas é a mesma, independente da arma ser de pressão ou de fogo; E como técnico em armas e autor de diversas matérias sobre o assunto, não poderia deixar de fazer para nossos clientes, seguidores e leitores esta matéria especial sobre mais uma raridade a qual tivemos acesso, o rifle Winchester model 1873, que foi uma verdadeira lenda do velho oeste americano.
Pois bem; Esta arma pertence a um amigo atirador que é colecionador devidamente registrado no exército e que, em dezembro de 2012, me chamou para ir até sua fazenda e orienta-lo quanto a uma possível restauração de uma relíquia. Sabedor do meu amor pelas armas, meu amigo não me informou de que arma se tratava e manteve suspense até que chegássemos à sua fazenda.Informou apenas que a arma teria pertencido ao seu tataravô. Abriu lentamente um cofre e me apresentou: _Wsniper, esta aquí é uma das minhas preferidas e está precisando de cuidados. Você conhece?   Reconhecí a preciosidade e pedí autorização para examinar a arma. Informei-lhe que felizmente tinha jeito e, pra começar, Precisava de limpeza e lubrificação completa, oxidação e ajuste no percussor e mola. A responsabilidade era grande! Imagine reformar uma lenda do velho oeste? cinco dias depois de muita pesquisa, trabalho e dedicação, a arma ficou pronta. Vejam as imagens:


Como estava antes da reforma: Toda travada e tomada pela ferrugem

AGORA VEJA COMO A ARMA FICOU DEPOIS DA REFORMA:
 

Lavrada no cano a logomarca da lendária fábrica Winchester,o ano do modelo da arma
 

A câmara aberta, deixa a mostra o elevador em latão.
 



Na soleira,podemos ver o depósito de munição reserva com a fechadura em latão.
 



O cano em aço sextavado era extremamente robusto e uma grande evolução para a época.
 

Aí está a razâo pela qual este rifle Winchester também seja conhecido nos EUA por "yellow boy"(rapaz amarelo)e no Brasil por "papo amarelo": O seu receptor, ou elevador de cartuchos, que fica na parte de baixo da arma é feito de puro latão amarelo, que lembra muito o ouro. Agora, o lendário Winchester papo amarelo .44 poderá novamente ecoar seu estrondo na mata, como se quisesse relembrar os tempos áureos do velho oeste americano!
 

 
Este é o livro do autor desta e de centenas de outras matérias sobre armas de pressão, de fogo, técnicas de tiro e tudo que você sempre quis saber sobre o mundo das armas. Conheça nosso livro CLICANDO AQUÍ
 

 
******************************************